in ,

O futuro do e-commerce no Brasil: o que esperar deste setor

A tendência é que o e-commerce cresça e conquiste ainda mais o público

O e-commerce surgiu em meados de 2008, quando apareceram soluções para a criação de comércios eletrônicos. Após cinco anos, a China alcançou um recorde de vendas online, lucrando cerca de 4 bilhões de euros durante o CyberMonday, uma ação de vendas com promoções/descontos. O setor caminhou assim para uma vida longa e o futuro do e-commerce no Brasil é algo bastante especulado.

Em 2017, o e-commerce foi um dos setores que apresentou maior evolução. E a tendência é que, a cada dia que passa, ele cresça ainda mais. Segundo dados da Ebit, empresa de consultoria especializada em lojas online, somente no primeiro semestre de 2017 houve um aumento de 7,5%.

Expectativa de 2018 em diante

Em 2018, o que se espera é justamente que esse setor siga crescendo. O público vem se familiarizando com essa plataforma e a qualificação das ferramentas que são utilizadas, bem como a melhoria na experiência ao comprar algum produto ou serviço.

Outro ponto importante é que, tal crescimento gera concorrências saudáveis, permitindo ao consumidor encontrar preços mais competitivos.

Existem, atualmente, uma série de fatores que podem ajudar a compreender melhor como será o futuro do e-commerce. Listamos as principais tendências desse setor para 2018 e para os próximos anos.

O Futuro do Ecommerce

Tendências do setor

1 – Customização de produtos

Uma experiência que ganhou força e acabou migrando para outras áreas foi a venda de camisetas, canecas e outros itens personalizados conforme o gosto do cliente, em determinados sites. Por conta disso, tudo indica que a partir de 2018 a customização de produtos seja bastante utilizada.

Muitas empresas já fazem uso deste conceito, o que permite que o cliente tenha experiências únicas, apenas com base no que é de sua preferência, e que seja encontrada a melhor solução para cada caso. A customização faz com que a empresa ganhe autoridade no mercado.

Esse tipo de experiência, quando gerada, possui um imenso valor e fortalece bastante a relação entre a empresa e o cliente, principalmente quando se desliga da sensação de ser somente um mero comprador.

2 –  Valorização do conteúdo produzido

As pessoas recebem milhares de ofertas por dia, e muitas chegam a ser agressivas, sem mostrar de forma detalhada do que se tratam. Desta forma, é essencial que, cada vez mais, a produção de conteúdo, feito com qualidade, seja unida com a divulgação dos produtos/serviços.

O que pode ser colocado em prática são vídeos, uma vez que conseguem reunir bastante conteúdo e em pouco tempo, transmitir o que o consumidor deseja saber, passar uma explicação mais completa sobre como os produtos são comercializados, como funcionam, etc.

Um dos motivos para investir num recurso como este é que a pesquisa do cliente ficará cada vez mais fácil. Porém, as chances de eles se tornarem clientes muito mais exigentes, será maior.

3 – Compra personalizada

Esse fator já é utilizado atualmente. O que importa, neste caso, não é a novidade, mas sim a consolidação dessa prática que já vem funcionando de forma primorosa.

A utilização do histórico de navegação e compra do cliente é o que facilita na hora de oferecer as melhores opções. Desta forma, o número de vendas poderá aumentar e a experiência oferecida por ele será qualificada.

Quem ainda não investe em ferramentas como esta, deve procurar uma forma de realizá-la, uma vez que a ausência desse recurso pode levar a uma perda de espaço, devido à exigência dos consumidores em esperar por soluções assim.

4 –  Utilização do mobile    

Grande parte das compras, atualmente, são feitas em lojas virtuais via dispositivos móveis. Por conta disso, oferecer soluções para facilitar o uso de equipamentos como este não é somente o futuro do e-commerce, mas sim uma forma de se adequar a uma tendência mais forte, que pretende se consolidar ainda mais.

O ideal é que a loja virtual sempre ofereça facilidade de navegação. Caso isso não esteja disponível, os clientes poderão ir para sites concorrentes, ou seja, deve-se criar uma versão responsiva do site.

5 – Soluções híbridas

As soluções híbridas costumam ser uma série de serviços diferenciados e um dos destaques nesse cenário. É algo que se encaixa bem em lojas virtuais e que poderá facilitar cada dia mais o serviço de entrega.

Por diversas vezes pode ocorrer de os clientes comparem no site e ter pressa em receber. Visando então solucionar esse problema, a maioria possibilita a retirada do produto na loja física mesmo. Nem todas trabalham assim, mas essa é uma dica importante, pois essa é uma prática valorizada pelo público.

E você, o que acha do e-commerce e o que espera de novidades nos próximos anos?

Automação de Marketing – Será isso assim tão positivo? Ou negativo? [Entenda]

Tudo o que você precisa saber para dar START na sua Automação de Marketing